terça-feira, novembro 18, 2014

Eu controlo, tu controlas

Tempos houve em que gostava de controlar tudo, fruto da idade, do feitio, da imaturidade. Destes três elementos, a idade aumentou, a imaturidade esbateu-se um pouco e o feitio continua mauzinho. Ah, a teimosia também está cá continua - às vezes, dá bons resultados se a entendermos como persistência, noutras vezes dá maus resultados porque continuamos a bater com a cabeça nos mesmo pontos e não saímos dali. 

A necessidade de controlar foi desaparecendo porque tudo corre o seu caminho quer a gente tente ver tudo o que lá se passa ou não. Tentar controlar tudo corta a respiração sobretudo a quem controla, submergido numa obstinação cega. Tudo segue o seu caminho, independentemente de nós.

Sem comentários: