sexta-feira, outubro 17, 2014

contrariados

As pessoas são contraditórias. Quando me perguntam o que estou a pensar fazer, agora com o desemprego e assim, tenho várias respostas possíveis que nem sempre se complementam. Aprendi a ter algumas certezas para fazer frente a este mundo tão certo de si próprio e, por isso, na maior parte das vezes não gosto de responder quando me fazem aquela fatídica pergunta. 

Tenho várias hipóteses ponderadas para evitar a loucura mas não sei se a consigo evitar. Posso ir para aqui ou ali, cada um desses passos possíveis confluindo em semelhantes níveis de rendimentos do mundo real.

Por isso, não aprecio quem tem as certezas absolutas do absolutismo que é viver de acordo com as manadas e não gosto de responder a quem as tem e não me dá hipóteses plausíveis de conviver com o canibalismo da belíssima sociedade moderna - aquela que glorifica o ter em vez do ser.

Sem comentários: