domingo, abril 29, 2012

Andamos desencontrados. Entre uma vontade e um desejo, vai-se a oportunidade de dizer aquela palavra que faria a diferença. Acomodamo-nos à vida e ela a nós, o tempo vai passando e, de repente, todas as oportunidades nos fogem das mãos. 
Não faz mal. Deixámos de sentir.
Encobrimos essa falta com actividade, para que o vazio não nos apanhe em flagrante. Não há espaço para a distracção. Porque sabemos que andamos desencontrados há demasiado tempo, tu e eu, ó mundo.

2 comentários:

Carla Veríssimo disse...

Isto estava muito poético, mas de repente, solto uma gargalhada com essa do "tu e eu, ó mundo"!, principalmente porque deixei de estar a ler e passei a ouvir a tua voz a indigná-lo!!! lolol
ehehehe, bebé ;)
Beijoquinha

Isobel disse...

já sabes que não consigo levar tudo a sério até ao fim, tinha de largar a minha laracha LOOOOL

quando é que casamos? ahahahahaha