terça-feira, novembro 04, 2008

Prevaricadora Social

Hoje fui abordada por um senhor de azul-escuro da Transtejo. O meu Lisboa Viva é uma valente merda e nunca funcionou muito bem. Não quero dar mais 10 euros ao sistema, por isso sempre que não funciona o cartão, tento encolher a barriga o máximo possível e passar por baixo dos acessos aos barcos. E eu acho que com razão, porque o cartão está em boas condições físicas, está protegido e não danificado.

O senhor não deve ter uma vida muito preenchida porque me fez perder os miseráveis 5 ou 10 minutos em que eu queria estar a ler o meu Pêndulo de Foucault (será que este eu acabo? E antes do fim do ano?) a argumentar com ele. Pasmem-se tanto como eu: o senhor tem princípios. Mesmo que eu tenha a porra do papel a dizer que carreguei o passe, tenho de dispender minutos da minha vida a depender de alguém que veste um bocado de PVC azul ou de um segurança acéfalo. As if!

A grande questão girava em torno de eu ser uma prevaricadora e não fazer como todas as pessoas normais fazem, que é tirar outro cartão e encher continuamente o cu a quem fabrica estes pedaços de plástico de segunda ou então ir mendigar uma entrada a que eu tenho direito. O senhor disse-me qualquer coisa como: o que vale é que eu agora vi! LOL! Tendo em conta que eu tenho tudo em ordem, só chego a esta conclusão: fui vítima de uma sanção moral, de um reprimenda ética. O que interessa são os princípios, meus caros!

Mas enquanto uma língua estiver disponível dentro da minha boca, os argumentos não cessam e, pelo menos, o senhor fica a saber que há gente mais teimosa que ele - embora, mais tarde ou mais cedo, eu tenha de ceder porque eles são muitos e todos iguais, tenho medo.

8 comentários:

Isabel disse...

Se o cartão não está visivelmente danificado e se estiver dentro da garantia, não tens de pagar nada, eles dão-te um novo.

Isobel disse...

Uma das informações que o senhor foi precisamente essa... porque eu nunca li as letrinhas pequeninas do contrato looool
E parece que o meu prazo terminou no mês passado Ah, Ah, Ah!

paperdoll disse...

"o que vale é que eu agora vi"?? ele não disse isso...

Isobel disse...

Não foi exactamente isso mas foi parecido... por isso é que eu digo que aquilo foi mesmo uma espécide de questão de ética deontológica looooool
Como se eu estivesse a fazer alguma coisa de muito errado :D
O mundo de certas pessoas gira em torno destas pequenas coisinhas, senão eu não teria estado praí 10 minutos a tentar explicar-lhe que se eu tenho aquilo pago, está tudo bem :D
Que paciência :(

paperdoll disse...

fartei-me de rir só de imaginar o homem, com uma barriga proeminente e um notável bigode pois claro, todo contente consigo próprio, a dizer alto e bom som: "o que vale é que eu agora vi!"
há pessoas mesmo sem vida... lol

Isobel disse...

loooool Por acaso, ele não corresponde à imagem clássica porque não tem bigode nem barriga.. mas tinha e tem uns olhos alucinados. Digamos que quando olhei para ele achei que podia ser padre. Tive tempo de pensar nisto, enquanto ignorava a lenga-lenga dele e tentava vender a minha lógica das coisas looooool
Mas, sim, o senhor parecia ofendido... imagine-se que eu, prevaricadora do passe PAGO, fizesse aquilo mais vezes?!
LOOOOL!
Foi educado e tudo mas eu não queria acreditar que houvesse tanta coisa para dizer sobre o facto de um pagante não poder passar por baixo dos torniquetes de acesso ao barco. Go figure! :D

Bic Laranja disse...

Comporte-se, senão o sistema vergá-la-á. Ou pensava que era só dantes...
Cumpts.

Isobel disse...

Vergaram-me um pedacinho, já fiz um cartão novo... mas, pelo menos, fiz frente ao senhor sistema, naquela tarde :D
Sinceramente, às vezes penso que há pessoas que ainda vivem no tempo da outra senhora..